Secretaria da Previdência e Trabalho nega registro de sindicato ligado ao Bom Senso FC

“Nasceu morto porque era comandado por gente que não sabe nada de atuação sindical"

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) - O Diário Oficial da última segunda-feira (22 de fevereiro) publicou despacho da Subsecretaria de Relações do Trabalho negando registro sindical ao recém criado SIAFMSP - Sindicato dos Atletas Profissionais de Futebol do Município de São Paulo. A tentativa de abertura partiu de atletas ligados ao extinto Bom Senso FC, grupo de jogadores de elite que tinha (e ainda tem) o objetivo proteger os altos salários do futebol brasileiro e diminuir o número de jogos no calendário, algo completamente na contramão do que almeja a classe.

Pelo fato de o maior volume do Direito de Arena (cotas televisivas dos atletas) estar concentrado nos grandes clubes da capital, a ideia do grupo era “separar” o dinheiro dos jogadores mais privilegiados do restante da categoria.

Arte: Soccer Digital
Arte: Soccer Digital
A medida deixaria mais de 80% dos atletas desamparados, justamente aqueles que ganham até um salário mínimo.

“Nasceu morto porque era comandado por gente que não sabe nada de atuação sindical. Não tinham licença, faziam reuniões com atletas e diziam na imprensa que representavam jogadores. Tudo sem autorização da Secretaria da Previdência e do Trabalho. Era um sindicato trabalhando de forma clandestina e que tinha em seu conselho fiscal até atleta que trabalha em clube, demonstrando claro conflito de interesses. A própria secretaria esclareceu o caso em tempo de evitar maiores prejuízos para a categoria”, explicou Rinaldo Martorelli, presidente do Sindicato de Atletas SP.

De acordo com o site oficial do agora oficialmente extinto sindicato, a diretoria era formada por:

Presidente: Washington Mascarenhas

Vice-presidente: Thais Picarte
Secretário-Geral: Ricardo Berna
Conselho Fiscal: William Machado, Paulo André, Alex e Wilson Gotardo
Delegado representante: Fernando Prass
CONFIRA OS DOCUMENTOS