Governo do Rio autoriza volta do futebol sem torcida a partir deste sábado

O Campeonato Carioca fica próximo de uma data de retorno, que deve ser definida nos próximos dias

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 06 (AFI) - O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), publicou decreto que flexibiliza as regras de isolamento no Estado, permitindo, a partir deste sábado, a reabertura de bares, restaurantes e shoppings centers, e o retorno dos jogos de futebol.

O decreto com as novas regras foi publicado em edição extra do Diário Oficial e divulgado no final da noite desta sexta-feira. Eventos esportivos de alto rendimento passam a ser autorizados, desde que realizados sem público e respeitando os protocolos de higienização. As partidas de futebol, portanto, terão portões fechados.

O funcionamento dos parques, para a prática de esportes, também está permitido, desde que não haja aglomeração. Ficam autorizadas as atividades esportivas individuais ao ar livre, inclusive em praias e lagoas, preferencialmente próximo à residência.

Dessa maneira, o Campeonato Carioca fica mais perto de oficializar uma data de retorno. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) já havia convocado os clubes da primeira divisão do Estadual para a reunião virtual do Conselho Arbitral neste sábado.

Os clubes ainda não se pronunciaram sobre a decisão do governo do Rio. Flamengo e Vasco se mostraram favoráveis à retomada das partidas, enquanto que Botafogo e Fluminense são contrários ao retorno do futebol neste momento em que a pandemia continua avançando no País.

Na última segunda-feira, a prefeitura do Rio anunciou medidas de flexibilização do isolamento social que preveem a permissão de jogos de futebol com 1/3 do público a partir de julho. O anúncio foi feito pelo prefeito Marcelo Crivella, mas essas normas poderão ser reavaliadas dependendo do número de casos de coronavírus.

Nas últimas 24 horas, foram confirmados 2.134 novos casos de covid-19 e a morte de 146 pessoas devido à doença no Estado do Rio. No total, são mais de 59 mil casos e cerca de 6 mil óbitos no Estado.