Com direito a 'Lei do Ex', Corinthians conquistava o Paulistão há 23 anos

Equipe alvinegra enfrentou o São Paulo no último jogo e André Luiz, ex-jogador tricolor, marcou o gol do 22º título

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 05 (AFI) - Ser campeão do maior estadual do país é bom. Mas quando o título acontece diante do rival, com direito a 'Lei do Ex', a comemoração se multiplica. E assim foi com o Corinthians de Nelsinho Baptista, em 1997, que contou com a chegada de grandes jogadores, o que resultou na conquista do Campeonato Paulista há exatos 23 anos, o 22º da história corintiana.

A 106ª edição do Campeonato Paulista contou com a participação de 16 clubes, que se dividiram em dois grupos com oito integrantes cada. Primeiro, as equipes se enfrentavam em turno único dentro da própria chave. Em seguida, os clubes jogavam em jogos de ida e volta contra os oponentes do outro grupo. Os dois melhores de cada lado, avançavam para o quadrangular final.

O Corinthians demonstrou bom desempenho na fase inicial. Em 23 partidas, somou 13 vitórias, 6 empates e 4 derrotas. Durante sua campanha, deixou algumas goleadas pelo caminho, contra Guarani, por 8 a 2, São José, 6 a 2, e contra o rival Palmeiras, por 5 a 2. Com 45 pontos, terminou na liderança do Grupo 2, com 5 de vantagem para o segundo colocado São Paulo. Pelo Grupo 1, os classificados foram o Palmeiras, com 48 pontos, e o Santos, com 46.

Com direito a 'Lei do Ex', Corinthians conquistava o Paulistão há 23 anos
Com direito a 'Lei do Ex', Corinthians conquistava o Paulistão há 23 anos
QUADRANGULAR FINAL
Na fase final da competição, os quatro times classificados se enfrentaram em mais um sistema de pontos corridos, em único turno. O primeiro confronto do clube do Parque São Jorge foi diante do Santos. Em uma emocionante partida, com muitos gols, quem levou a melhor foi a equipe da capital, vencendo o jogo por 4 a 3, com gols de Marcelinho Carioca, Mirandinha, Souza e Gilmar.

Na sequência, o adversário foi o Palmeiras. Invicto há três jogos, o Alvinegro não encontrou grandes dificuldades diante do Alviverde. Com Wagner expulso pelo lado palmeirense e Silvinho pelo lado alvinegro, a partida ficou aberta. Então, faltando dois minutos para o intervalo, Henrique recebeu cruzamento e cabeceou forte para a inaugurar o marcador. No segundo tempo, com domínio corintiano, após bela jogada pelo lado esquerdo, Mirandinha ampliou, decretou o placar de 2 a 0, e eliminou a chance de título do rival.

A LEI DO EX
Com duas vitórias na última etapa, Corinthians e São Paulo chegavam à última rodada com o cenário bem definido. O time de Parque São Jorge precisava apenas de um empate, enquanto o Tricolor tinha a necessidade da vitória, já que o Alvinegro tinha feito melhor campanha na fase anterior.

Era uma quinta-feira e fazia frio na capital paulista. Mesmo assim, o Morumbi recebeu 60 mil pagantes. O primeiro tempo da derradeira partida demonstrava equilíbrio, com chances para ambos os lados. Mas para quem acha que a famosa “Lei do ex” é recente no futebol, este confronto esclarece que não é bem assim.

Quando parecia que as duas equipes desceriam para os vestiários com um empate sem gols, André Luiz, revelado pelo São Paulo, carregou a bola até a intermediária, pelo lado esquerdo do campo, fez bela tabela com Souza, invadiu a área e bateu forte em direção ao gol. A bola ainda bateu no calcanhar do goleiro Rogério Ceni antes de entrar.

Na volta do intervalo, o São Paulo voltou mais ligado e determinado a não entregar fácil o campeonato. Assim, logo aos dois minutos, Cláudio alçou a bola na área e Fábio Aurélio saltou no segundo andar para empatar a partida. Apesar do esforço tricolor, o Corinthians segurou o resultado e chegou ao seu 22º título estadual.

FICHA TÉCNICA
Corinthians 1 x 1 São Paulo
Campeonato Paulista 1997 - Fase Final
Local:
estádio do Morumbi, em São Paulo;
Data: 5 de junho de 1997;
Juiz: Sandor Puhl (Hungria);
Cartões amarelos: Mirandinha, Fábio Augusto (C) e Belletti (SP)
Cartão vermelho: Bordon
Gols: André, aos 46min do primeiro tempo, e Fábio Aurélio, aos 2min do segundo.

Corinthians: Ronaldo; Fábio Augusto, Antonio Carlos, Henrique e André Luiz; Romeu, Gilmar, Souza e Marcelinho Carioca; Mirandinha e Donizete. Técnico: Nelsinho Baptista.

São Paulo: Rogério Ceni; Cláudio, Rogério Pinheiro, Bordon e Serginho; Axel, Belletti (Edmílson), Luiz Carlos (Válber) e Fábio Aurélio; Dodô e Aristizabal (França). Técnico: Dario Pereyra.

Mateus Bezerra, especial para a FPF