Em crise, Cruzeiro anuncia dispensa de Robinho e Edilson

A dupla não aguentou a nova realidade da equipe celeste em meio à pandemia

por Agência Futebol Interior

Belo Horizonte, MG, 05 (AFI) - Em crise financeira ainda mais agravada por conta da paralisação causada pelo novo coronavírus, o Cruzeiro não viu escapatória e precisou dispensar dois dos jogadores mais experientes do clube e com salários mais elevados. São eles: o lateral Edilson e o meia Robinho.

"Infelizmente, devido ao cenário que envolve o Clube nos últimos anos, precisamos chegar a essa decisão extrema. Robinho e Edilson são atletas vitoriosos, que contribuíram para o time com grandes conquistas, e nós os agradecemos muito", disse o presidente Sérgio Santos Rodrigues.

Para permanecer na Raposa, a dupla aceitou baixar os vencimentos, mas ainda assim causava pressão dentro da diretoria. Edilson tinha contrato até o fim do ano. Já o do Robinho ia até o final de 2021.

Robinho e Edilson deixaram o Cruzeiro
Robinho e Edilson deixaram o Cruzeiro
"A realidade e necessidade de austeridade do Cruzeiro daqui pra frente nos impõe essa mudança. Um dos principais compromissos da nossa gestão é preservar a saúde financeira do Clube, e foi isso o que pesou na decisão. Continuamos, porém, atentos ao mercado para reforçar o elenco dentro da nossa realidade e contamos com a compreensão dos nossos torcedores para o nosso momento", explicou o mandatário.

A DUPLA
Robinho estava no Cruzeiro desde 2016 após uma troca com o Palmeiras. Foi multicampeão pelo clube nos 180 jogos que realizou com a camisa celeste. Marcou 25 gols.

Já Edilson chegou em 2018, após ser campeão da Libertadores pelo Grêmio. Sofreu com lesões e fez apenas 75 jogos e marcou três gols. Esteve perto de retornar ao Tricolor no início do ano.