Há 60 anos, Guarani aplicava a maior goleada do Dérbi Campineiro

Apesar da goleada histórica, por 6 a 0, o clássico é marcado por grande equilíbrio ao longo dos quase 100 anos

por Federação Paulista (FPF)

Campinas, SP, 05 (AFI) - Último confronto do Paulistão 2020, antes da pausa devido o surto da Covid-19, o Dérbi Campineiro traz uma das maiores e mais antigas rivalidades do futebol paulista. Entre tantos capítulos que enriquecem o embate está a maior goleada da história entre os clubes, quando o Guarani venceu a Ponte Preta, por 6 a 0, há exatos 60 anos.

O primeiro encontro entre os rivais aconteceu no dia 24 de março de 1912. O clássico, que já foi disputado 196 vezes, chama atenção por conta do equilíbrio histórico entre as duas equipes. São 67 vitórias para o lado bugrino, contra 64 do Alvinegro, incluindo 64 empates. Ao todo, foram 512 gols, sendo 259 do Bugre, e 253 da Macaca.

Há 60 anos, Guarani aplicava a maior goleada do Dérbi Campineiro
Há 60 anos, Guarani aplicava a maior goleada do Dérbi Campineiro
Pela principal divisão do Campeonato Paulista, os antagonistas se enfrentaram 80 vezes. Ao contrário do histórico geral de confrontos, pelo estadual a supremacia é pontepretana. São 25 vitórias, cinco a mais que o rival, com outras 35 igualdades.

Mas, apesar da superioridade no cenário paulista, a maior goleada do confronto pertence ao Guarani. No dia 5 de junho de 1960, os clubes se enfrentaram em torneio amistoso, no Brinco de Ouro. Na ocasião, os anfitriões não fizeram cerimônia aos visitantes, emplacando uma goleada por 6 a 0. Os principais nomes daquela partida foram os atacantes Osvaldo e Benê, balançando as redes duas vezes cada um.

FICHA TÉCNICA:
Guarani 6 x 0 Ponte Preta
Local:
Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas;
Data: 5 de junho de 1960
Renda: CR$ 359.325.
Juiz: Anacleto Pietrobom.
Gols: Benê 21' e Osvaldo 22' do 1ºT; Osvaldo (p) 14', Cabrita 31, Benê 33 e Paulo Leão 43' do 2ºT.

Guarani: Dimas; Ferrari e Carlão; Valter, Eraldo e Diogo; Dorival (Dido), Marim, Cabrita (Paulo Leão), Benê e Osvaldo. Técnico: Armando Renganeschi.

Ponte Preta: Valter; Darci Santos e Esmeraldo; Miltinho, Pitico e Ilzo; Alcides (Nivaldo), Paulinho (Zezinho), Nilson, Silvio e Joubert. Técnico: Gentil Cardoso.

Mateus Bezerra, especial para a FPF