Com presença forte no Brasil em 2020, Grupo City investe cada vez mais ao redor do mundo

Em maio de 2020, o City Football Group anunciou a compra do Lommel SK, clube da segunda divisão belga

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 17 (AFI) - Após assinar com jogadores como Vinicius Souza e Diego Rosa, de Flamengo e Grêmio, respectivamente, o conglomerado adquiriu uma equipe da França e expande cada vez mais o seu raio de ação dentro do futebol. Em maio de 2020, o City Football Group anunciou a compra do Lommel SK, clube da segunda divisão belga, transformando o mesmo na nona equipe presente em seu vasto portfólio de equipes.

A aquisição do modesto clube da Bélgica se insere no plano do grupo em desenvolver o futebol em vários países, dentro de uma filosofia estética em relação ao jogo e do desejo de desenvolver jovens talentos.Isto acabou abrindo novas possibilidades para as apostas CampoBet, que já contava com diversas modalidades e clubes em sua base. “Estamos felizes em ter o Lommel SK no City Football Group e em poder trabalhar ao lado dos torcedores e da cidade para desenvolver o clube.

A Bélgica é um dos principais países da Europa no futebol, demostrando isso com o sucesso da seleção nacional e o desenvolvimento de jogadores de classe mundial, como Kevin De Bruyne e Vincent Kompany”, declarou Ferran Soriano, o Diretor executivo do City Football Group.

Criada em 2013, a sociedade tem a Abu Dhabi United Group, liderada pelo sheik Mansour bin Zayed, a China Media Capital Consortium e a Silver Lake como sócios e atualmente controla várias equipes de diversos locais do planeta: são donos do Manchester City na Premier League, New York City na MLS e o Melbourne City na Austrália, além de ter participações em equipes como o Yokohama F. Marinos no Japão, o Montevideo City Torque no Uruguai, o Girona FC na Espanha, o Sichuan Juiniu na China, o Mumbai City na Índia e, mais recentemente, o próprio Lommel na Bélgica.

Várias equipes que estão sob a liderança ou possuem participação junto ao conglomerado conquistaram títulos desde a oficialização da parceria com o City Football Group. Além dos 14 títulos nacionais do Manchester City, o Yokohama Marinos conquistou o Campeonato Japonês em 2019 e o Montevideo City Torque venceu a segunda divisão do Uruguai em 2017 e 2019, por exemplo.

A ideia de criar um conglomerado no mundo do esporte veio de Ferran Soriano, antigo vice-presidente do Barcelona, e que hoje comanda os três principais clubes da corporação e lidera as ações do CFG, uma espécie de multinacional do esporte, com o investimento massivo dos Emirados Árabes Unidos através do Sheik Mansour.

Desde agosto de 2020, a presença do grupo se tornou mais forte no Brasil. Como informado pelo Globoesporte.com e pelo jornal O Dia, jogadores como Vinicius Souza e Caio Roque do Flamengo e o volante Diego Rosa, revelado pelo Grêmio, firmaram contrato com o Grupo City.

Se a primeira intenção do grupo era colocar os jogadores nas equipes já existentes, o caminho seguido pelos brasileiros pode ser outro a partir de agora.

Além da aquisição do clube belga meses atrás, o ano de 2020 também marcou a adição do ESTAC Troyes, clube da segunda divisão da França, como o décimo time a fazer parte do grupo, depois do negócio ter recebido o aval das autoridades francesas em setembro.

De acordo com a imprensa local, o valor da aquisição não ultrapassou os dez milhões de euros e, a partir de agora, o CFG é o acionista majoritário do clube que disputou a Ligue 1, primeira divisão da França, pela última vez na temporada 2017/2018.

Sob a influência dos novos donos, Simon Cliff, antigo dirigente do Manchester City, se tornou o presidente do Troyes e, não só os brasileiros, mas jogadores de todo o mundo pertencentes ao grupo têm a possibilidade de partir para um grande destino a partir de agora.