Paulista A2: Presidente do Penapolense descarta disputar jogos no segundo semestre

Nilso Moreira negou qualquer possibilidade da Pantera do Noroeste entrar em campo

por Agência Futebol Interior

Penápolis, SP, 07 (AFI) - O presidente do Penapolense descartou, na manhã desta terça-feira, qualquer condição de disputar jogos no segundo semestre de 2020.

A pandemia do Covid-19 resultou na paralisação dos campeonatos de futebol em todo o mundo, incluindo o Paulista da Série A2, torneio no qual a Pantera da Noroeste buscava classificação ao mata-mata.

"Diante desta imensa crise de saúde que vive o mundo, que poderemos ao final contabilizar a perda de milhões de vidas, o futebol passou a ser irrelevante. Eu, como médico, não posso me deixar contaminar pela paixão em detrimento ao sofrimento de nossos irmãos", pontuou Nilso Moreira.

"Penso que as competições esportivas no Brasil só devem voltar à normalidade a partir de agosto, mas sofrendo alterações. No futebol, os torneios paralisados só voltarão quando a curva de contágio dos pacientes começar a cair. Isso é em junho ou julho. Só Deus sabe. A volta será gradativa e não terá o mesmo valor, pois os times não terão o mesmo plantel", emendou.

Nilso afirma: Penapolense não tem condições de jogar no 2º semestre - Silas Reche / CA Penapolense
Nilso afirma: Penapolense não tem condições de jogar no 2º semestre
PRAZO CURTO

Na Série A2, por exemplo, a maioria dos clubes tem os vínculos dos jogadores a vencer em 30 de abril. O problema é que grande parte dos profissionais já tem pré-contrato assinado com outros times.

"O Penapolense só tem mais três jogos a cumprir e será difícil reunir um time para realizar as três partidas", explicou o cartola.

FINANÇAS

Nilso lembrou ainda outra situação muito importante: as finanças: "O dinheiro irá faltar para todos no Brasil e será difícil que os empresários/parceiros disponibilizem verbas ao futebol. Portanto, decidimos que o Penapolense não jogará nenhuma competição de futebol profissional no segundo semestre", garantiu.

Quanto aos salários dos jogadores, comissão técnica e equipe de apoio, a diretoria assegura estar empenhada em realizar os pagamentos: "Só temos o salário de março, que ainda não venceu, para pagar”, resumiu o presidente.

Para saldar as parcelas finais, os diretores irão tentar negociar para que os valores sejam divididos em duas vezes.

"Nossas cotas estão bloqueadas. Os patrocinadores nos alertaram que não terão recursos para repassar. Dias difíceis virão, mas com força e união de todos sairemos desta. Na função de médico, vejo que o melhor remédio é o isolamento social", analisou.

"Fiquemos em casa, pois só assim conseguiremos diminuir o número de contágios e termos tempo de organizar a estrutura da saúde para atender a todos com dignidade e eficiência", finalizou Nilso.

SERÁ?

A Federação Paulista de Futebol, em férias devido à pandemia, deve definir o futuro das competições estaduais nas próximas semanas.