Paulistão: Ponte estuda pedido de efeito suspensivo para liberar dupla titular

O zagueiro Alisson e o atacante Roger estão suspensos na retomada do Estadual

por Lucas Rossafa

Campinas, SP, 15 (AFI) - A Ponte Preta estuda a possibilidade de pedir efeito suspensivo para ter Alisson e Roger à disposição nas duas rodadas finais do Campeonato Paulista.

A dupla está suspensa para enfrentar o Novorizontino, a partir de 22 de julho, ainda com local e horário indefinidos pela Federação Paulista de Futebol (FPF), e pode ficar fora de lista de relacionados do técnico João Brigatti.

No início desta semana, a diretoria executiva, presidida por Sebastião Arcanjo, solicitou ao Departamento Jurídico que analisasse a situação a fim de avançar no assunto antes da formalização.

Ponte Preta estuda liberação de Roger e Alisson - Álvaro Júnior / AA Ponte Preta
Ponte Preta estuda liberação de Roger e Alisson

O argumento no qual a Macaca se baseia é ter o maior número de atletas 'saudáveis' possíveis, haja vista ter a chance de perder algum profissional de última hora caso o exame de PCR-RT, realizado horas antes do jogo, diagnostique a presença de coronavírus - isso, obviamente, resultaria no corte imediato

Time campineiro quer ter todos os inscritos à disposição e deve realizar o pedido junto ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP) para transferir a punição apenas ao Campeonato Paulista de 2021, liberando os jogadores na retomada do torneio.

DIFERENÇAS

Roger está suspenso dos dois últimos compromissos da Ponte Preta por ter recebido o terceiro cartão amarelo no clássico contra o Guarani e, ao final, sido pivô de confusão generalizada no gramado do Brinco de Ouro da Princesa, o que rendeu a expulsão direta por parte do árbitro Salim Fende Chavez.

Alisson, por sua vez, recebeu o vermelho após depois do último apito por ter dado um soco em Romércio, zagueiro do rival Guarani, também no Dérbi 196 - tal pena afasta o camisa 23, porém, de apenas um jogo.

É importante pontuar que nenhuma das duas expulsões, relatadas em súmula, ainda foram julgadas pelo TJD-SP em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

CASES DE SUCESSO

Departamento Jurídico da Ponte Preta, encabeçada pelo advogado João Felipe Artioli, tem colhido bons resultados nas audiências recentes.

Antes do Covid-19, Alvinegra logrou êxito nos processos contra o ex-lateral-direito Tony e o ex-volante Paulinho, entre outros.

O caso mais emblemático, todavia, foi reversão do placar do confronto diante da Aparecidense, na Copa do Brasil de 2019, mediante alegação de interferência externa, o que culminou na remarcação do embate para abril do ano passado.

E AGORA?

Lanterna com sete pontos, o time de Campinas depende apenas das próprias forças para garantir permanência no Campeonato Paulista.

Em jejum de sete jogos no Estadual, comandados de João Brigatti fecham participação na elite contra Novorizontino (casa) e Mirassol (fora).