Ponte Preta 1 x 1 Operário - Macaca se atrapalha e Fantasma ajuda Paraná

Duelo também marcou o reencontro do atacante Roger com a Macaca

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 19 – A Ponte Preta perdeu a chance de encostar na liderança da Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite deste domingo, no complemento da décima rodada, o time campineiro chegou a sair na frente, mas ficou no 1 a 1 contra o Operário, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Apodi anotou o gol para os paulistas e Tomas Bastos marcou para os paranaenses.

A Ponte disputava o primeiro lugar ponto a ponto com o Paraná, mas estacionou em 18, dois a menos que o adversário. O Operário, por sua vez, segue próximo do G4, em sexto, com 16, um a menos que a Chapecoense, que fecha o grupo de classificação.

VEJA OS GOLS DO EMPATE JUSTO

PROBLEMAS...
Antes mesmo da bola rolar, o Operário ganhou um desfalque. O zagueiro Bonfim sentiu as costas no aquecimento e foi substituído por Sosa. Mesmo com a troca da zaga, o time paranaense tomou um susto logo aos dez minutos. Pelo alto, logo aos dez minutos, Matheus Peixoto obrigou Thiago Braga a trabalhar em cabeçada firme.

Apesar do lance de perigo, o duelo foi equilibrado, com troca de domínios entre as equipes. A Ponte Preta, contudo, aproveitou um contra-ataque e uma finalização inspirada de Apodi para marcar. Aos 22 minutos, Bruno Rodrigues iniciou a jogada e virou o jogo para o lateral. O veterano arrancou, trouxe para o meio e finalizou de perna esquerda, no ângulo de Thiago Braga.

PRESSÃO
Os campineiros tentaram aproveitar o bom momento para ampliar o marcador. Primeiro, pelo alto, após cavada de João Paulo, Matheus Peixoto obrigou Thiago Braga a fazer grande defesa.

O goleiro paranaense voltou a trabalhar em outra testada, desta vez de Bruno Rodrigues.

BRIGA FORA DO CAMPO
Antes do intervalo, o Operário conseguiu ameaçar em cobrança de falta de Tomas Bastos, que parou em Ivan. Após o lance, dirigentes de Ponte e Operário se desentenderam nas sociais do Majestoso e precisaram ser contidos por segurança. O motivo teria sido uma suposta provocação depois da defesa do goleiro.

PontePress/ÁlvaroJr
REVIRAVOLTA
O segundo tempo teve outra cara, com o Operário ainda mais organizado e adiantado em busca do ataque. Logo aos sete minutos, o time paranaense carimbou o travessão de Ivan em cobrança de falta frontal.

O time paranaense seguiu melhor e conseguiu empatar aos 21 minutos. Tomas Bastos acionou Roger dentro da área e pegou a sobra da tentativa de corte da defesa. Ele emendou de primeira e não deu chances para Ivan.

PontePress/ÁlvaroJr
Os visitantes não diminuíram o ritmo e estiveram perto de marcar o segundo. Wellington Carvalho tentou fazer o corte e colocou contra a própria meta, carimbando a trave. Depois, foi a vez de Roger. O centroavante recebeu livre, invadiu a área, mas parou em Ivan, que fechou o ângulo e não deixou a bola passar.

TUDO IGUAL
Em jogadas individuais, a Ponte Preta tentou reagir com Moisés. Na primeira delas, o atacante ficou pedindo pênalti após não conseguir finalizar. Em outro lance, ele conseguiu finalizar e assustou Thiago Braga. O duelo seguiu agitado na reta final, mas o empate persistiu.

PRÓXIMOS JOGOS
A Ponte Preta volta a jogar no meio de semana pela Copa do Brasil. Na terça-feira, a equipe faz partida decisiva contra o América-MG, às 21h30, em Belo Horizonte. Pela Série B, o adversário será o Confiança, no domingo, às 20h30, no Moisés Lucarelli, em Campinas. O Operário joga apenas pela segunda divisão, na terça, contra o Cuiabá, no Germano Kruger, em Ponta Grossa.

Ficha Técnica

Fase
Única
Rodada
10ª rodada
Data
19/09/2020
Horário
19h00
Local
Moisés Lucarelli - Campinas (SP)
Árbitro
Alisson Furtado (TO)

Assistentes
Fábio Pereira (TO) e Cipriano Sousa (TO)

Cartões Amarelos
Ponte Preta-SP: Luis Oyama, João Paulo, Wellington Carvalho

Gols
Ponte Preta-SP: Apodi 22' 1T
Operário-PR: Tomas Bastos 21' 2T
Ponte Preta-SP
Ivan;
Apodi (Dawhan), Alisson, Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni;
Luís Oyama, Bruno Reis, Luan Dias (Zé Roberto) e João Paulo;
Bruno Rodrigues (Moisés) e Matheus Peixoto (Guilherme Pato).
Técnico: João Brigatti
Operário-PR
Thiago Braga;
Sávio, Sosa (Peixoto), Reniê e Fabiano;
Pedro Ken (Mazinho), Cleyton (Jean Carlos) e Tomas Bastos;
Thomaz, Maranhão (Douglas Coutinho) e Roger (Schumacher).
Técnico: Gerson Gusmão