Presidente do Santos critica atuação do árbitro na derrota para o Fluminense

Cuca não culpou os erros de Anderson Daronco pelo tropeço no Rio de Janeiro

por Agência Estado

Santos, SP, 26 - A arbitragem de Anderson Daronco na derrota do Santos por 3 a 1 para o Fluminense, domingo, no Maracanã, provocou protestos no clube. As decisões do gaúcho foram alvos de comentários o técnico Cuca e do presidente em exercício Orlando Rollo, mas em tons diferentes.

As reclamações do Santos foram de que o árbitro deveria ter expulsado o volante Hudson, do Fluminense, por causa de uma entrada violenta em Soteldo. Além disso, o time criticou a anulação de dois gols, de Arthur Gomes e do atacante venezuelano, após consulta ao VAR.

Cuca, porém, tratou de minimizar a influência do árbitro no resultado final. E reconheceu que o seu time não estava em tarde inspirada.

Orlando Rollo criticou a arbitragem de Anderson Daronco
Orlando Rollo criticou a arbitragem de Anderson Daronco
"A arbitragem do Daronco foi muito ruim. Amarrou o jogo, não deixou fluir. Ele é bom árbitro, mas esteve num dia ruim, assim como nós, que não merecíamos vencer, mesmo se não tivesse anulado os dois gols. Jogamos mal", afirmou o treinador, para depois fazer uma avaliação mais específica sobre os lances reclamados.

"O lance (do Hudson) era para vermelho. Estava a cinco metros de mim e dele. Não adianta passar essa situação para o VAR. É uma sensação que ele tem que ter no campo, como ele teve ao anular o nosso primeiro gol em que não foi nada. Ele teve uma interpretação de campo e anulou. Foi nisso que eu falei que era tudo contra.

O segundo gol anulado é interpretativo. Se for buscar o movimento do Arthur Gomes, ele para. Ele não faz carga ou algo do tipo. Se ele não desse falta em nenhum dos dois gols, passaria. Se desse falta no segundo, está bom. Mas no primeiro, não", acrescentou o treinador.

PRESIDENTE NA BRONCA
O Santos também divulgou vídeo em que Rollo reclama da atuação de Daronco. E o presidente em exercício do clube prometeu que sua insatisfação será apresentada à CBF e à Comissão de Arbitragem da confederação.

"No meu entendimento, o árbitro interferiu diretamente no resultado. Principalmente nos dois gols anulados. Em um deles o bandeira já estava correndo. O Arthur tomou uma mãozada o rosto, teve o lance do Hudson em cima do Soteldo que era para gerar a expulsão direta. Meu perfil não é gritar no gramado, no vestiário. Temos de brigar por nossos direitos nas esferas corretas, que são a CBF e a comissão de arbitragem", afirmou.

Com a derrota, o Santos perdeu a chance de entrar no G4 do Brasileirão - é o sexto colocado, com 27 pontos.

O time agora deixa o Nacional de lado, pois na quarta-feira receberá o Ceará, na Vila Belmiro, pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Já no sábado, também em casa, vai enfrentar o Bahia, pelo Brasileirão.