Chuva de gols: Seleção Brasileira marcava seis e vencia Polônia há 82 anos

A vitória, por 6 a 5, é até hoje o confronto com maior número de gols em jogos do Brasil na história da Copa do Mundo

por Federação Paulista (FPF)

São Paulo, SP, 05 (AFI) - Há 82 anos, liderado por Leônidas da Silva, o Brasil protagonizava uma partida que entrou para a história das Copas. Naquele 5 de junho de 1938, a Seleção Brasileira entrou em campo contra a Polônia na estreia da Copa do Mundo daquele ano, disputada na França. Após 11 bolas na rede, o Brasil venceu por 6 a 5 e conseguiu vaga para a etapa seguinte, já que os confrontos eram eliminatórios.

11 GOLS
A França foi palco da terceira edição de uma Copa do Mundo, que havia sido disputada pela primeira vez em 1930, no Uruguai, e em 1934, na Itália. Em 1938, 16 seleções disputaram o torneio, sendo todas as partidas eliminatórias, ou seja, empate no tempo regulamentar era necessária a realização de uma prorrogação. Em caso de mais uma igualdade no tempo extra, outro confronto seria marcado para conhecer o classificado. Sendo assim, o Brasil estreou contra a Polônia em caráter eliminatório.

Seleção Brasileira marcava seis e vencia Polônia há 82 anos
Seleção Brasileira marcava seis e vencia Polônia há 82 anos
Tal partida carrega consigo muitas curiosidades: foi neste jogo que o Brasil usou, pela primeira vez, um segundo uniforme, já que ambas as equipes jogavam com fardamento branco. Antes da bola rolar, foi feito um sorteio e o Brasil perdeu, sendo obrigado a usar a camisa azul de treino e, por conta disso, não usou seu distintivo na camisa, sendo a primeira e única vez que isso aconteceu. Naquela equipe que entrou em campo, apenas Lopes atuava no futebol paulista (jogava pelo Corinthians na época).

Quando a bola rolou, o Brasil começou melhor, com Perácio acertando o travessão e Leônidas abrindo o placar aos 18 minutos. Este foi o primeiro gol de uma série que ainda viria na sequência e mostrando como seria aquela partida. Aos 23 minutos, Domingos da Guia agarrou Wodarz dentro da área e o juiz assinalou pênalti, sendo o primeiro contra o Brasil na história do mundial. Szerfke foi o responsável pela cobrança e converteu a penalidade, deixando o placar em igualdade. Dois minutos depois, Romeu recolocou o Brasil na frente e, aos 44 minutos, Perácio marcou de cabeça, o primeiro gol brasileiro desta maneira em Copas, levando boa vantagem para o intervalo.

Na segunda etapa, começou a chover e isso dificultou o andamento do futebol brasileiro. Por outro lado, favoreceu o adversário, que tinha a força como uma aliada. Willimowski estava em uma noite inspirada e marcou dois gols, logo no começo -aos oito minutos e aos 14- deixando tudo igual. Mas o empate não adiantava, então o Brasil seguiu no ataque e, aos 26 minutos, Perácio colocou a seleção canarinho em vantagem novamente. No último minuto, veio a surpresa: Willimowski marcou o terceiro na partida, forçando uma decisão na prorrogação.

O que parecia ser uma partida de destaque apenas de Willimowski, acabou sendo um despertar da estrela de Leônidas da Silva. O atacante marcou o quinto gol brasileiro aos três minutos e o tento da vitória aos 14 minutos do primeiro tempo da prorrogação. Na segunda etapa, com todos os jogadores exaustos, Willimowski ainda marcou mais um, mas não conseguiu impedir a classificação brasileira para às quartas de final. Com o quarto gol, o polonês ficou marcado como o jogador que mais balançou as redes contra o Brasil em uma única partida.

CURIOSIDADE
Com sete gols em cinco jogos, Leônidas da Silva foi o primeiro jogador brasileiro a terminar uma Copa do Mundo como artilheiro. Até a edição de 2014, quando o Brasil foi superado pelo Alemanha na semifinal, por 7 a 1, o confronto diante da Polônia era a partida em que a seleção mais havia sofrido gols na história da Copa do Mundo.

CAMPANHA
Classifica às quartas de final, o Brasil enfrentou a Tchecoslováquia e, após um empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, houve mais um jogo para decidir quem chegaria à semifinal -o Brasil venceu a segunda partida por 2 a 1 e ficou com a vaga. Na semifinal, o escrete nacional perdeu para a futura campeã Itália por 2 a 1. Na disputa pelo terceiro lugar, o Brasil enfrentou e venceu a Suécia pelo placar de 4 a 2, mesmo placar da decisão entre italianos e húngaros.

FICHA TÉCNICA
Brasil 6 x 5 Polônia
Copa do Mundo - Fase Final
Local:
Meinau, Estrasburgo - França;
Data: 05 de junho de 1938;
Horário: 17h30;
Público: 13.452
Árbitro: Ivan Eklind (SUE);
Gols: Leônidas (3), Romeu, Perácio (2) (Brasil); Szerfke, Willimowski (4) (Polônia).

Brasil: Batatais; Domingos da Guia e Machado; Zezé Procópio, Martim e Affonsinho; Lopes, Romeu, Leônidas, Perácio e Hércules. Técnico: Ademar Pimenta.

Polônia: Madejski; Szczepaniak e Galecki; Gora, Nyc e Dytko; Piec, Piatek, Szerfke, Willimowski e Wodarz. Técnico: Josef Kaluza.

Letícia Denadai, especial para a FPF