Inglês: Apesar do alto investimento, West Ham briga para não cair

Em 23 rodadas disputadas até aqui, os Hammers somaram apenas 23 pontos e estão apenas uma posição acima da zona de rebaixamento

Publicado em .

Em 23 rodadas disputadas até aqui, os Hammers somaram apenas 23 pontos e estão apenas uma posição acima da zona de rebaixamento

Campinas, SP, 24 - Na Premier League desde a temporada 2012-13, o West Ham tem a sua permanência seriamente ameaçada na elite do futebol inglês. Em 23 rodadas disputadas até aqui, os Hammers somaram apenas 23 pontos e estão apenas uma posição acima da zona de rebaixamento.

SITUAÇÃO INSUSTENTÁVEL

O West Ham iniciou a temporada sob o comando do chileno Manuel Pellegrini, com expectativas de terminar a temporada na primeira parte da tabela. No entanto, os resultados não vieram e a situação de Pellegrini ficou insustentável no comando dos Hammers.

O chileno foi demitido no dia 28 de dezembro do ano passado, após a derrota de sua ex-equipe para o Leicester. Pellegrini ficou exatamente 18 meses no cargo da equipe de Londres e soube da demissão nos vestiários.

TROCA DE COMANDO

Foto: Divulgação / West Ham
Foto: Divulgação / West Ham

Com o treinador sul-americano, o West Ham venceu apenas 24 de seus 64 jogos, um aproveitamento que não condiz com a qualidade do elenco do time.

Além disso, Pellegrini deixou os Hammers na 17ª colocação da Premier League — a mesma posição da equipe na tabela atualmente.

Poucas horas depois da demissão do chileno, o West Ham anunciou o treinador escocês David Moyes — é a segunda passagem dele pelos Hammers. O escocês dirigiu o clube durante a temporada 2017/18, quando foi contratado para salvar o clube de rebaixamento após a demissão de Slaven Bilic.

SITUAÇÃO COMPLICADA

Desde a sua volta, Moyes dirigiu o West Ham em quatro partidas pela Premier League: venceu uma, empatou uma e perdeu duas. O time vem de derrota acachapante para o Leicester, por 4 a 1. Agora, os comandados de Moyes terão pela frente na próxima quarta-feira o invicto Liverpool, líder disparado da Premier League.

Os Hammers receberão os Reds em casa, no Estádio Olímpico de Londres. Mas isso não quer muita coisa, pois o West Ham tem a quarta pior campanha com mandante da Premier League. Se o West Ham não vencer o Liverpool, é muito provável que a equipe entre na zona de rebaixamento — Bournemouth (18º) e Watford (19º) têm a mesma pontuação dos Hammers.

Além de encarar o Liverpool novamente daqui a algumas semanas, o West Ham terá jogos dificílimos até o fim da atual edição da Premier League. Tottenham, Manchester City, Chelsea, Arsenal e Manchester United são alguns dos próximos adversários dos Hammers.

BOA SAÚDE FINANCEIRA E POUCO FUTEBOL

Os Hammers quebraram seu recorde de transferências em duas oportunidades no comando de Pellegrini, pagando R$ 197 milhões pelo brasileiro Felipe Anderson e R$ 245 milhões para o atacante francês Sebastien Haller.

Foto: Divulgação / West Ham
Foto: Divulgação / West Ham

Vale destacar que, desde 2015, o West Ham é patrocinado pela empresa Betway, referência no setor de apostas esportivas. Somente da Betway, os Hammers arrecadam cerca de R$ 54 milhões por ano. Para efeito de comparação, o Flamengo, atual campeão brasileiro e da Copa Libertadores da América, recebe de seu patrocinador máster cerca de R$ 30 milhões anuais.

É claro que a Premier League gera muito mais audiência que o futebol brasileiro e por isso os valores pagos consideravelmente superiores, mas isso mostra a disparidade econômica dos clubes europeus em relação aos times sul-americanos.

PROBLEMA DE GOLS

Não por acaso, o West Ham é um dos principais interessados em contratar o atacante brasileiro Gabigol, melhor jogador do Flamengo na última temporada. Os Hammers tentam resolver urgentemente a falta de gols na temporada, por isso é grande o interesse do clube inglês em contar com o brasileiro. Em 23 partidas na Premier League, a equipe treinada por David Moyes tem apenas 26 gols anotados.

Foto: Divulgação / West Ham
Foto: Divulgação / West Ham

O meio-campista do West Ham, Declan Rice, fala em trabalho duro e em “sorte” para os Hammers saírem dessa situação.

“Precisamos ser honestos com nós mesmos, começar a recuperar nossa confiança em campo e começar a jogar futebol. A única maneira de mudar as coisas é nos mantermos unidos, continuar trabalhando duro e, com sorte, as coisas vão mudar”, disse Rice, em declarações à BBC Londres.

DECEPÇÃO

Umas das decepções do clube londrino da temporada é meio-campista argentino Manuel Lanzini. Em julho do ano passado, o argentino renovou seu contrato por mais quatro temporadas com os Hammers, mas desde então ele não conseguiu boas performances como nas temporadas anteriores.

Na atual temporada, Lanzini atuou em 17 partidas da Premier League e não marcou sequer um gol — apenas duas assistências. O brasileiro Felipe Anderson, um dos melhores jogadores do time, também vive excelente fase em 2019-20 e marcou apenas um gol em 19 partidas.